O Buraco Negro!

 


O Buraco Negro!

Onde você guarda seus pesadelos?!

 

Quando tudo parece normal é que pode estar ficando estranho… a normalidade pode estar escondendo um medo… uma vontade de resolver problemas que talvez não sejam problemas solucionáveis… o medo pode não ser um medo real… se for, também que mal tem em ter medo de alguma coisa… sabendo que nem poderá acontecer… e se acontecer?

 

Quando estamos com alguém ou com um grupo, dá uma sensação de segurança… o medo e os problemas estão ali, mas o trabalho… a escola… o trânsito… o horário do almoço e as conversas sobre tudo que nos cercam no dia a dia minimizam os problemas que nos sufocam na hora do banho… ou antes disso durante o caminho para casa… quando ficamos sozinhos dentro de nossa cabeça tudo que estava quieto começa a falar… começa a gritar dentro de nós como se fôssemos surdos… tenta sufocar nossa respiração como se estivéssemos debaixo da água… dá vontade de sair gritando e chutando tudo… dá medo de um dia ter que fazer isso… mas vai resolver?

 

Às vezes dá vontade de sair do mundo…

 

………………………..Silêncio………………………………………………..

…………………...escuro………………………..

…………………………..lágrimas…

…...Silêncio………….lágrimas…...escuro……..

……………………………………………..luz………………………………………………….

 

Abrir os olhos… voltar a viver a velha rotina… medo do tempo sozinho… medo de onde poderia ter chegado.... medo das vozes que falam na cabeça… vontade de resolver tudo de uma vez, mas continuar aqui… vivendo aqui mesmo… mas o medo do desconhecido que está dentro da cabeça das pessoas só aumenta o medo de saber… melhor sumir… melhor fugir… ir para meu mundo estranho que quando estou lá … me dá vontade de voltar… mas aqui só fico bem quando estou com alguém… alguém que não faz perguntas… alguém que só respira do meu lado e não me toca… não me cobra… não pressiona… mas quando estou lá me dá vontade de voltar e ficar aqui… lá é escuro e fico muito sozinho… tenho medo daquilo que fala dentro da minha cabeça… faz com que eu me esqueça de quem eu sou e para onde vou… estou perdido dentro de mim… pareço uma estrada que não tem fim… um fim dentro de mim… pareço infinito… mas me sinto tão pequeno e penso que o mundo não sabe de mim…

 

O mais louco de todos os sentimentos que carrego aqui dentro e que não sei explicar… só sei explodir e gritar… uma vontade de parar o tempo… tudo fica tão cinzento por dentro… ninguém me vê… ninguém me percebe… eu falo assim de mim porque só vejo o fim… não enxergo o agora… até que chega alguém falando de coisas de um mundo além do meu entendimento… muito diferente daquilo que vivo aqui dentro… nada mais importa… nada mais espero… nada mais quero… nada mais faz sentido… não importa o banho… o cheiro e o sabor das coisas… tenho muitas coisas dentro da minha cabeça… mas não tem ordem para sair na minha boca… em alguns momentos só falo ao vento como se alguém me ouvisse ou prestasse atenção… muitas palavras de maldição… adoração para o cão… sentado no chão comendo um pedaço de pão… sujo como um ladrão fugitivo que se esconde no esgoto da cidade… cheio de maldade contra as pessoas do bem, só porque são do bem… porque tomam banho… porque comem comida limpinha… porque tem algum lugar para morar… e eu sem nenhum lugar para ficar… dá raiva de quem tem… dá nojo do povo que não me olha… finge não me vê… finge não ter um trocado… mas quando dá sinto tanta arrogância… tanta soberba que parece estar me tirado da miséria por causa de um trocado… só porque estou sujo e mal arrumado… tenho sujeiras do meu lado… toda roupa está quase rasgada e pareço pelado… sou gente igual a você, eu sei que não se compara como estou, mas se soubesse porque aqui estou talvez mudaria seu humor… sabe o que mais gosto? Quando alguém, mesmo sem me dar um vintém, para e conversa comigo sobre vários assuntos… perguntam tudo sobre mim… querem saber por que aqui estou… é bom ser notado, mesmo que não me deem um trocado, me sinto melhor… sempre recebo uma benção ou algo para comer… as vezes percebo que na minha situação acabo dando algum recado para essas pessoas que parecem ter uma vida tão boa… não me contam seus problemas, dão frases da Bíblia como se fossem profetas… dão algum trocado como se fossem milionários… eu sei  que não são tão bem de vida assim… caso contrário não estariam passando ali perto de mim… alguns perguntam qual o meu sonho… meu sonho… eu vou lhe contar… vou tentar fazer isso sem chorar…

 

Saí da minha vida procurando uma saída… procurando um lugar que fosse incrível, um lugar desesperadamente ímpar de tudo que já ví e sonhei, na verdade eu não sei o que aconteceu, quando me vi, percebi talvez tarde que não era a minha vontade de ter, mas era minha falta de vontade de fazer… as portas que se fecharam e os maldosos que se apresentaram… tanto desamor... oras por favor… quanto rancor e dor por quase nada… só queriam o meu sangue, minha alma e minha vida… não poderia aceitar me escravizar… no altar da aberração de mãos dadas com o cão… achando que estava fazendo algo que fosse a solução… me perdi pelo caminho e por isso estou aqui… na fila do desespero… na fila da dor interior… na fila das doenças e do desabrigo… na fila das noites mais sombrias e frias… sem  algo quente para aquecer meu estômago, só uma água quente e um pão sujo e duro… uma coberta velha e fedida… suja por mim no meu dia a dia de banhos não tomados… sonhos tão gostosos de que estava nadando pelado e fazendo xixi no rio, mas estava tão gostoso e quentinho que lá no sonho eu poderia fazer que ninguém iria ver... hum… quando acabei foi aí que eu acordei… estava todo molhado e encharcado… já estava até gelado e toda minha roupa molhada… por isso cheira e arde as narinas… afasta as pessoas e não é à toa… por tantos dias assim é que penso em um fim… um apagar das luzes… um dia último que tudo isso acabe e passe…

…………………………...esperando o silêncio…………………………….

……………..passando o tempo ... tomando um sol…………

 

Percebi com o passar dos dias que eu não tenho é coragem… de sair dessa situação para uma escuridão… eu tenho medo do escuro, por isso durmo próximo de alguns postes de luz… eles não apagam, só desligam quando a luz maior brilha… o sol é uma luz incrível… nunca deixei de gostar do sol… a noite é bonita e cheia de luzes… mas é sombrio onde moro e a noite escura me dá medo de morrer… esse medo é que me deu vontade de continuar… me deu vontade de voltar, recomeçar… achar esse lugar que sempre procurei e onde achar eu não sei… mas pode ter certeza que tem um lugar incrível por onde eu for… dentro da minha cabeça por mais que não pareça já fiz viagens que talvez eu não esqueça…

 

Precisei sair de onde estava para achar algo que eu procurava… lá em algum lugar… tive que sentir coisas que não sentia, mas não sabia que um dia sentiria tanto medo das noites frias e pavor do calor do meio dia… um povo que tem um olhar tirano… que vivem uma vida de engano… alguns mais pobres que eu lá dentro do seu eu… descobri nesse meu tempo ausente de mim que nossa vida não é tão ruim assim… desisti de achar o meu fim… o fim que vem para qualquer outro alguém… é como um trem que não se desvia para o lado porque vive bitolado e direcionado a ir… quando chega na estação de alguém, abre a porta e chama; “vem”... um convite para uma viagem onde você não paga passagem… essa viagem hoje não quero nem de graça, tenho muito que fazer e decidi viver… não quero perder a chance de dizer; amo você… que saudade de você… que vontade de abraçar… que vontade de amar… que vontade de sorrir junto… que vontade de dormir abraçadinho como se estivesse em um ninho… mesmo decidido a fazer o caminho de volta, sinto medo de bater naquela porta… não ser atendido… ter sido banido do grupo familiar… sair mais perdido sem saber para onde voltar… pois ali é que é meu lugar… para onde irei não sei… mas já sei que dentro da minha cabeça tem lugares incríveis… posso construir o que quiser não importa o que eu fizer… mas vou deixar de pessimismo e cruzar este abismo que abriu dentro de mim… vou construir a ponte da coragem e começar minha passagem… penso em voltar bem devagar e ir imaginando a hora de chegar… achar o endereço que quase eu me esqueço… pois longe dali decidi ficar e não voltar… então apaguei algumas lembranças… mas não me esqueço das minhas crianças, que são minhas doces lembranças…

 

A Dura Realidade

Na verdade, é que eu não imaginava em que situação estava a casa que eu procurava… devo ter passado em frente muitas vezes e sem perceber acabei de saber que eu consegui me esquecer… não sei meu Deus que dor… o endereço da casa que construí com tanto amor… minha cabeça gira… minhas pernas enfraquecem… minhas mãos estremecem… nervosismo e pressão… muita tensão e um palpitar no meu coração… qual será o olhar de minha mulher… ainda há esperança de renovar nossa aliança?

 

Santa ignorância sonhar como criança… depois de ter feito tanta lambança e abandonar minha esposa e nosso lar… ela terá toda razão se não quiser me dar atenção e não me deixar voltar…

 

Deixar Voltar…

Voltar para alguém… voltar para os seus… seus filhos… seus amigos… seus vizinhos… seu quintal… seu cachorro de estimação, velho amigo que não esquece o seu cheiro e verdadeiramente é seu melhor companheiro… não se preocupa com seu cheiro, deita do seu lado e fica ali o dia inteiro… faz do seu pé seu travesseiro… não te faz perguntas e somente te olha… abana o rabo e com seu olhar diz que vai ficar do seu lado… mesmo meio longe nos pensamentos sem dar muita atenção, ali do seu lado tem um fiel amigo seu inesquecível cão…

 

Minha esposa com olhar triste, me vendo como alguém que vem de outro além… um sujeito largado e todo desarrumado… cheio de marcas do sol seu companheiro de todos os dias… uma roupa surrada e toda rasgada, uma sandália que fora ganhada nessa caminhada de alguém que não me deu um vintém, mas deu um prato de comida e essa sandália já usada, mas que aguentou muitos meses da minha caminhada… que tristeza ver seu olhar tão abatido por me ver assim, uma pessoa que seria melhor ter tido um fim, talvez a dor seria menor, eu nem sei o que seria melhor… como reparar tanta dor e solidão provocada por minha decisão?

 

Vejo um coração cheio de esperança, pois quando cheguei e seu nome gritei lá no portão, vi escorrer em seu rosto lágrimas como se fosse uma criança com seu coração cheio de amor e esperança… logo que me viu disse em alta voz; “..meu Deus a ti honra, Glória e Louvor, sabia que um dia o Senhor traria de volta o meu amor”..., confesso que nesse clima eu consegui olhar pra cima e ver que já havia um plano, mas eu na minha ignorância vivia um engano… achei que por tudo que passei o Criador era culpado, mas nem imaginava que por tudo que passei, ele estava do meu lado e agora eu sei…

 

Tive noites para morrer de fome, mas alguém me deu algo para comer… tive dias para morrer atropelado, mas alguém que estava do meu lado me puxou e nem sequer sabia quem eu sou, apenas me ajudou… tive noites que pensei em tirar minha própria vida, mas quando dizia vou fazer eu nem sei como lhe dizer, foram as noites que estava tão fraco de fome e uma solidão tão grande que mal conseguiria sair andando em direção ao lugar onde pensei em me jogar… mas no dia seguinte eu só queria me alimentar e dormir… mas, os dias passaram e vejam que hoje estou aqui… penso eu agora que Deus em todos as auroras já tinha desenhado meu caminho de volta… mesmo tendo dentro de mim uma revolta e uma dor, veja que falo de rancor, que virou amargura e solidão, mais um pouco de ódio da vida fiquei assim perdido e sem rumo, com tudo isso o Criador não deixou de me amar, de cuidar de mim e mesmo eu querendo o meu fim o Senhor cuidou daquilo que está dentro de mim… agora me lembro de vozes que me animavam enquanto dormia, as vezes eu sorria e me perguntava, por que estou feliz se vivo assim no meio do lixo? Não havia uma resposta, eu saia pela rua chutando latinhas como criança, como se tivesse alguma esperança de algo que conseguiria um dia… mesmo nas noites frias e no calor de cada dia, havia sim momentos de alegria que pareciam não ter fim…

 

Penso que isso intrigava quem passava… um louco sujo e descabelado e quase pelado, andando chutando latinhas e sorrindo e cantando como se fosse um ganhador de loteria que nunca foi rico um dia…, mas ali estava eu sendo cuidado, sei hoje quem era, pois ainda É e Será, aqui e em todo lugar para onde eu for, minha vida e meu amor, juntos até depois do fim… obrigado Espírito Santo e seu Anjos, que me ajudaram e até minha casa me levaram…

 

Vejo que aqui a vida continua e é meio diferente lá da rua… tem perguntas e cobranças, mas aqui temos juntos esperança… tem amor, tem flor, tem almoço e janta… tem algumas crianças que só aumentam minha esperança… tem discussões e desentendimentos, só por isso eu lamento, algum rancor e alguma dor, ressentimentos guardados, mágoas reprimidas e tudo por causa de vidas não resolvidas, mal sabem eles que estão com as mãos na solução, ou melhor perto de resolver o problema, basta olhar nos olhos e falar… é preciso deixar o rio levar… é preciso largar… deixar… levar… a água lavar… o rio fluir e levar… não é momento de ter razão… é momento de amar e deixar fluir as palavras do coração, é triste a solidão de estar juntos e tão distantes um do outros, mesmo que por poucos momentos eu sinto por dentro uma dor, o rancor… o desamor… a dor… a murmuração… a solidão…, a diferença é que aqui, tenho um quarto, um corpo quente do meu lado, tenho alguém para me sentir amparado… são mais dias de alegria que dias de dor… são mais brincadeiras e alguma ironia que atitudes de rancor… amor maior que rancor… alegrias maior que solidão… quarto quente bem melhor que papelão no chão… minha velha vida nova de volta… tanta gente que não sabe como se resolver e ser feliz aqui… não precisam ir para onde eu fui… um lugar logo ali, bem ali fora de mim… uma estrada que parece não ter fim… talvez alguns deles precisasse passar por lá, para aprender a sentir falta e aprender a amar, amar os problemas e ver que vale a pena se arrepender, ceder, deixar de ser o certo, não ser o mais correto, entender quem errou e aceitar aquele que te perdoou, tentar ser mais maleável e até amável…

 

Os dias estão passando e a cada momento eu lamento pelo tempo que passou enquanto estive do outro lado da minha cabeça… vida… cabeça…

 

Amanhecer e Anoitecer… Ouvir e Falar…

Quantos amanhecer e anoitecer vivi… quantas perguntas escutei, de quem eu nem sei… quantas palavras falei e para quais pessoas eu também não sei… me lembro de uma janela e tinha sim uma cortina nela… amarela ou laranja… tinha cheiro de coisas limpas, mas me lembro e toda sujeira e das asneiras que ouvia, tanto de noite quanto de dia… aquela mulher que chamava de tia… ela sorria mas em mim doía… após a dor sentia um grande sono e algum temor… pessoas passando do meu lado e sentia nas costas um frio gelado… estou quase me lembrando de onde estava, meu Deus o que aconteceu… estava dentro de um lugar que sempre me deu medo, isso era sim um segredo que nunca contaria, todo medo que sinto sempre foi um segredo… meus medos… meus segredos…

 

Que medo de morar na rua… de ser uma pessoa nua, sem família e sem alimento… sem teto morando no tempo… sem endereço e sem ter valor e apreço… sem amor… sem atenção e sem solução… sem filhos, sem esposa e sem irmãos… sem minha casinha e meu cão amigo… que hoje está aqui comigo… que bom que tudo foi um grande sonho… esse era meu maior medo que guardava em segredo… ser um mendigo morador de rua... aquela pessoa quase nua… sei hoje que tive um problema mental, para minha segurança me colocaram em um hospital… fui tratado como débil mental… muitos remédios, tratamentos e tal… fiquei assim meio legal, meio tudo beleza… sem saber o que havia tomado, onde estava e quem me visitava, se visitavam não sei….

 

De toda situação tenho que ser grato a Deus que me estendeu a mão… colocou minha esposa sempre do meu lado, cuidou de mim todos os dias e mesmo que eu não sabia naqueles dias mais ruins, quando sonhava que eu vivia assim na rua, falava sozinho pelo hospital, gritava e rasgava minhas roupas, diziam que eu era uma pessoa louca, alguém que só acalmava com remédios, já era dúvida até para os médicos…, mas enfim chegou um dia, que entrou naquela enfermaria um médico, homem alto e de voz forte, pegou minha mão direita e sem rodeios perguntou; “o que queres meu amigo?”, eu respondi simplesmente que queria ficar bom, simples assim e só isso, então depois de tanto sofrimento que passei aqui dentro de mim, todas as noites e aqueles dias de luta chegaram ao fim… na primeira manhã seguinte veio a enfermeira de todos os dias, com aquele bandeja com um remédio do cão, que assim que aplicava me jogava no chão… mas antes de aplicar eu comecei a lhe falar, achei palavras que ainda não havia dito, nem sei onde isso está escrito… apenas disse; “façamos um excepcional dia”, com olhos arregalados ela sentou ao meu lado e perguntou; “que diabos de remédio você tomou?”... Eu sem saber explicar comecei a falar… foi aquele enfermeiro da noite, veio sem avisar e pouco ele tentou falar, apenas veio para me medicar, mas que estranho me lembro agora, como se fosse agora, nada ele me deu, nada aplicou, apenas segurou em minhas mãos e perguntou, o que eu queria, disse que queria ficar bem, assim aconteceu e logo após falar meu corpo todo adormeceu, não sei o que aconteceu, mas lhe garanto que tudo que sentia e tudo que me incomodava neste momento desapareceu…

 

Moça, creio que aquele enfermeiro era um Anjo de Deus, não consegui olhar nos seus olhos, pois brilhavam e clareou o quarto todo quando ele entrou, observei apenas suas vestes, claras como a neve… sua voz forte e poderosa, falou pouco, respirou fundo e sorriu para mim… creio que hoje minha jornada aqui neste hospital chegou ao fim.

 

Caro leitor, espero que essa história tenha levado você a valorizar e ter gratidão pelo que tem, pelo momento que está vivendo, pelas pessoas que estão ao seu lado… viva o hoje e agora, resolva hoje ser feliz, faça tudo que puder, use sua energia e transforma dor em alegria, faça do pouco o bastante para aquele dia… seja você, ame se, seja livre…

O personagem dessa história não era um mendigo, como uma parte do texto sugere, mas se trata de uma pessoa que sofreu algum tipo de esquizofrenia, ficou um bom tempo no hospital, viveu em sua cabeça os sonhos que lhe davam medos, um deles era ser morador de rua…, mas após sua cura ele reencontra sua família, onde vive onde em dia.

 

“Sua mente é traiçoeira, lute contra seus medos!

 

Um abraço!

 

Gerson Araujo

@eusougersonaraujo

Ajudo pessoas a transformarem suas vidas.

Ativando sua IDentidade e Mente de Governo.

Estabelecidos pelo Criador desde o Princípio.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Saudade é a Única Coisa que o Vento Não Leva

Dona Constância e Sua Amiga Perseverança

O NÃO DO AMOR TRAZ DOR?